As Doenças Periodontais e a Halitose

 
Doenças periodontais são inflamações localizadas na região do periodonto (osso ao redor dos dentes, ligamentos que os sustentam e gengiva). Dentre elas, a gengivite e a periodontite são as de maior ocorrência e se caracterizam por processos inflamatórios nocivos. Na gengivite, não há alteração óssea. A inflamação atinge somente a gengiva. Já no caso da periodontite, essa inflamação poderá levar à perda do dente.

Essas doenças também causam a halitose (mau hálito), principalmente a periodontite, que forma as chamadas bolsas periodontais, localizadas entre o dente e a gengiva, com inflamação dos tecidos que unem os dentes ao osso. Essas bolsas acumulam colônias de bactérias que se alimentam de proteínas do sulco gengival, da saliva e de carboidratos, gerando compostos orgânicos e sulfurados voláteis responsáveis pelo odor desagradável do hálito.

A placa bacteriana é a principal causadora da doença periodontal. Essa placa gera lesões periodontais graves, pois acumula bactérias que depois são transportadas para outras regiões orais como, por exemplo, o dorso posterior da língua. Essas bactérias formam colônias que contribuem para a instalação do mau hálito. O sinal mais característico da doença periodontal é o sangramento da gengiva, que deve ser investigado assim que for percebido pelo paciente.

O Tratamento periodôntico é complexo e está dividido em quatro fases:
 
  Fase 1 - Avaliação da extensão do comprometimento gengival e das perdas ósseas, bem como a avaliação dos fatores que permitiram esta evolução.

  Fase 2 - Procedimentos de intervenção: raspagens sub e supragengival (remoção de placa bacteriana, tártaro, tecido de granulação e toxinas), seguidas de uma profilaxia geral. Poderá também ser necessário a realização de cirurgias periodontais para se ter acesso à gengiva, quando da realização da alguns tipos de raspagem.

  Fase 3 - Reeducação do paciente acerca de hábitos especiais de higiene bucal: uso de escova interdentais e/ou unitufo, correta utilização do fio ou fita dental, uso de creme dental mais adequado, uso de profiláticos de enxágües adequados, etc.

  Fase 4 - Revisão periódica para controle e eliminação de eventuais focos de placa bacteriana (principalmente a subgengival), feita paralelamente a um acompanhamento do processo de reação imunológica do paciente.

O principal objetivo do tratamento periodôntico é estabilizar as perdas do conjunto osso-ligamento-gengiva-dente e assegurar que o trabalho conjunto, feito pelo profissional e o paciente, evite o retorno ou agravamento do quadro periodontal. Mas, para que isso seja possível, é fundamental que o processo de higiene bucal seja bem feito. Lembramos que um quadro de periodontite, não importando se mais ou menos grave, implica no fato de que o paciente já apresenta perdas parcialmente irreversíveis, além de outras conseqüências sistêmicas que poderão ser desencadeadas a partir da doença periodontal.

Sendo assim, os pacientes de doenças periodontais devem estar atentos para o fato de que sua saúde bucal sempre necessitará de cuidados especiais, quando comparados aos de pacientes comuns; e mais, que o acúmulo de placa bacteriana é particularmente grave para o seu quadro clínico. Por esse motivo, é fundamental ter a consciência de que o tratamento periodontal exige disciplina nos hábitos de higiene bucal, além de exigir uma revisão periódica, feita por um profissional especializado, a fim de detectar qualquer alteração. Tendo esses cuidados, o paciente irá desfrutar de uma saúde bucal normal.
 


Rua Itapicuru, 369, cj.509 - Perdizes - São Paulo
Av Copacabana, 112, sala 514
Fone/Fax: (11) 3675-1998
WhatsApp (11) 97672-9537